29.6.08

IV

O ostracismo permanece,
o 'mais do mesmo' me deprime,
por mais que os atos mudem,
os meios parecem permanecer os mesmos,
e é exatamente isso que me deprime,
qualquer dia sairei correndo e só irei parar quando chegar ao meu destino,
que seria o nada em vista,
a inconstante,
a última coisa que se esperava,
a quebra da rotina,
a diferença.

24.6.08

Finis Operis

E são tantas idéias,
fora o fim da temporada de sete anos em meio a uma "segunda vida" em que vivi por um ano e meio,
e assim deixe-me tentar colocar minha cabeça no lugar,
me sinto um tanto vazio,
tnata coisa para perguntar, porém nada exatamente, pois tudo estava bem explicado...

Só preciso respirar um pouco e pensar em novos rumos,
ordenar o efeito que essas 956 páginas surtiram em mim,
e isso parece agora uma tentativa de auto-consolo por parte de uma viúva,
de modo que me sinto mais ridículo por isso do que achei que seria na teoria...

Tantas frases ecoaram por tanto tempo...
" E você pode ir embora agora...
Caiu. Não, atirou-se no chão"

E a idéia de se fugir do grande tédio habita minha mente também.

E depois do finis operis, fico aqui
tentando ordenar pensamentos, ensinamentos e novas teorias,
tentando aplicar na minha vida,
algo que em breve fará todo o sentido do mundo para mim,
e apenas para mim.

22.6.08

Protège Moi

Protect me from what I want

15.6.08

canções tristes para amantes sacanas

juntos,
eramos o nada,
aplicado e multiplicado por um conjunto vazio.
separados,
eramos o excesso,
a produção de coisas grandiosas e belas,
destinadas a um futuro bem maior que nós mesmos,
eramos criadores de canções tristes,
que usavamos para animar qualquer amante sacana que encontrassemos na próxima esquina,
eramos a promessa de futuro para alguém,
seja ele quem for, já que nem importa afinal.
juntos,
eramos uma destruição em massa,
separados,
éramos deuses em nosso mundo.

12.6.08

O templo aplicado a DF

Eu sempre calculei o futuro, premeditei meu presente,
enquanto você se contentava em saber, no máximo, do dia seguinte.
Enquanto mantenho o mesmo e fracassado emprego de anos,
você deve contar inúmeras experiências de meses em sua carteira de trabalho,
me detenho em certezas que me levam a "seguranças" e lugares-comum
enquanto tuas certezas te levam a dúvidas favoráveis e fracassos desumanos.

Ao analisarmos isso, fica fácil de entender o que aconteceu,
o porque de hoje sermos apenas parte do passado um do outro,
num relacionamento sem certeza do presente e,
quiçá uma vã possibilidade de futuro,
embora é claro que a incerteza dos acontecimentos é que move o mundo.

9.6.08

Pensamento #357 (mas quem está contando?)

Existem dois tipos de verdade: A verdade real e a verdade seguida do " Brincadeirinha! Te peguei"

8.6.08

Cheiro de Drama ou Eu posso estar errado

Sabe quando você sente que uma pessoa próxima a você vai fazer uma besteira?
E você sabe que a qualquer momento teu telefone vai tocar e essa pessoa vai te relatar o passo a passo de toda a besteira feita?
Pois bem, essa sensação que assola agora...
A ela recentemente nomeei de "Cheiro de Drama"
você sente a ação chegando e quase pode vê-la acontecendo,
você pressente ela à sua frente,
e ela acontece...
Na hora dá vontade de proferir as sábias (e chatas) palavras "Eu já sabia",
mas a surpresa ainda bate em você,
e bom... O telefone chama e você sabe o que isso quer dizer, né?
Mais notícias mais tarde.

7.6.08

Coisas que pouco importam

Em particular,
sinto-me profundamente inspirado,
ainda mais para um dia como hoje em que tudo conspira contra,
muita filosofia foi despejada pela cabeça hoje (se por bem ou por mal, pouco importa),
cabeças alheias, na verdade...
Falei, falei e falei mais ainda,
se fui bem ouvido ou não, isso é outra coisa que pouco me importa no momento.

Em particular,
terei que trabalhar amanhã,
isso desanima, mas nem tanto,
algo mais me dá um certo ânimo e faz com que eu queira regozijar esse momento,
que momento é esse é mais alguma coisa que nem sei e nem quero saber,
eu mal sei o qu eestou falando,
e nem colocarei a culpa no álcool...

Apenas um cara feliz relatando o porquê dessa tal felicidade que pouco o importa, para ser sincero a todos e, principalmente, a mim...

6.6.08

Nota #35 ou viver bem é a melhor vingança

SEU IDIOTA,
não ve o que está perdendo?
fica se desgastando nesses constantes testes de força,
mostrando que não se importa quando na verdade ficava chorando em nossos ombros,
saiba o que está fazendo,
a próxima vez pode ser a última,
e daí, meu caro,
teu fim vai ser o recomeço da vida dela...
De forma melhor, espero!

>
Mero devaneio de fim de noite, eu não daria a mínima se fosse você.

4.6.08

Não significa nada

De tempos em tempos começo a falar sobre o tempo por aqui,
aquelas particularidades que geralmente surgem como um assunto de ponto de ônibus com alguém não tão familiar, estilo
Já estamos em junho, né??? 'Xa vida...
geralmente no auge da minha arrogância e falta de colaboração balbucio no máximo um Pois é e tento deixar o assunto morrer...
Mas pô, já estamos em junho,
já se ouve falar de produtos que levam o complemento 2009
e eu cheguei a mais um ponto,
ponto esse que eu me permito pensar uma vez por semestre,
as famosas realizações de ano novo,
que eu não fiz nenhuma,
emagreci um pouco, é verdade,
mas continuo com as coisas que eu desaprovava antes,
e nada acrescentou...
Ou melhor, acrescentou de forma inesperada,
como todos os anos,
e talvez seja por isso que eu evite falar com freqüência desse assunto,
afinal de contas, não significa nada,
não acrescenta nada a ninguém,
e se eu tinha um norte para ir, acabei de me perder,
e de uma coisa eu posso ter certeza:
Pelos dias que chegarão até o próximo semestre, muitas vezes eu vou me perguntar o que estou fazendo aqui.

3.6.08

Você não é um inimigo

Me deixem sair,
você grita até a exaustão, ficando quase sem oxigênio,
anda, não tem graça, me deixem sair,
você repete se perguntando como sabe que é mais de uma pessoa,
Estou sufocando aqui,
você informa constatando pela primeira vez que você é claustrofóbico,
não consigo respirar,
em um momento que nem você mais sabe se o que fala é verdade ou não,
não aguento mais!!!!
você profere sem entender que o único lugar que te prende é o teu corpo e nada mais.

1.6.08

pensamentos para o fim

Que as justificativas que buscamos sejam dadas de forma mais precisa e coesa do que por forma de reticências, menear de cabeça ou um simples e sem sentido dar de ombros.

Que isso tudo se aplique para que, no final e só no final mesmo, tudo faça sentido...