21.2.12

"Vamos trabalhar sem fazer alarde..."

"Quanto riso, ó quanta alegria..."
Assim como dizem que amor de verão não sobe a serra,
carnaval acaba e toda a ilusão inicial dele vai pelo ralo também,
eu era sambista, mas isso acabou na quarta-feira de cinzas,
eu era um boêmio, agora voltam-se os dias de despertador, malhação e dieta do couve-flor,
eu descansava demais, agora retornaremos a programação normal onde somos movidos pela velha e tediosa rotina onde dois e dois são quatro,
e, Jovelina Pérola Negra estava errada, pois todos os dias se zangaram e parecem chover.

5.2.12

Sobre o fim, 6 de fevereiro e nada mais

E como poderia ter sido?
Planejando um casamento, montando enxoval ou apenas comprando um apartamento juntos...
Campinas ou Sorocaba? Tanto faria... Contanto que estivéssemos juntos.
E assim se foram três anos,
em que lembranças me bombardearam constantemente,
como tudo poderia ter sido.
Como poderíamos ter-nos superado a procura do presente perfeito,
na surpresa mais impressionante,
ou no ato mais singelo.
Algumas viagens teriam se passado,
assim como algumas brigas e, com certeza, já teriamos terminado para voltar depois.

Pra falar a verdade, não penso muito nisso não...
O que eu acho engraçado é que eu não mais me lembro a data do seu aniversário,
mas eu nunca me esqueci da data do nosso fim.