31.8.11

Cotidiano

Assuste-se em cada cruzamento,
aquele homem pedindo dinheiro pode ameaçar a sua vida!
DICA: Tranque a porta e siga em frente.
Tenha medo de cada carro que parar atrás de você,
eles podem estar te vigiando para um sequestro relâmpago,
ou até mesmo pode não te ver e amassar o seu carro,
DICA: corra um pouco e afaste-se dos perigos!
Não pare em ruas e vallets,
ninguém é confiável a não ser você,
DICA: pare em um estacionamento, pague uma nota para isso e, mesmo assim, desconfie de tudo e todos!
Volte para casa, mais uma vez, seguindo todas as dicas anteriores,
suspire de alívio ao entrar pelo portão eletrônico
DICA: Olhe para os dois lados antes de entrar em sua casa, seja rápido... Assim que o portão fechar, coloque um cadeado, cheque se a cerca elétrica ainda está lá e ligada e acione o sensor de presença e o alarme de casa codificado...

Deite-se mais uma vez na sua cama localizada nessa pequena prisão que você forjou para si mesmo e se enclausurou para se proteger dos males do mundo.

24.8.11

Um episódio qualquer D.A.#1

Nunca foi nada especial...
Era meramente e estritamente um acordo entre pessoas,
ok ok, dois adolescentes ainda com espinhas e ansiosos para fazer o que eles viam nos filmes,
o acordo era:
sem laços, sem sentimentos, apenas amizade com benefícios,
se algum dos lados se apaixonar, acabou...
E realmente nos julgamos capazes de honrar esse acordo, não é?
Como diz a música: "Todos nós caimos"
Primeiro você caiu de amores,
depois eu,
e depois um pouco dos dois...
E quando o caminho mais óbvio parecia ceder a tudo isso e rasgar o acordo,
deixar para lá,
decidimos honrá-lo e cada um seguir o seu caminho,
sozinho!

23.8.11

Um episódio qualquer D#20

(...)
-Sabe...eu me diverti bastante contigo hoje.
-Eu também...Tudo deu errado, mas é como se tudo tivesse dado certo no final!
-Pois é... A companhia estava bem boa também!
-Ah... Que isso? Eu que estava bem acompanhada...
-Entremos num consenso que ambos estavamos bem acompanhados hoje! Que tal?
-Perfeito... Chegamos a um ponto!
-...
-Se bem que...
-Se bem que o que?
-Faltou algo para terminar a noite.
-Tipo o que?
-Ah... Talvez um beijo de boa noite...
-Senti falta disso também!
-Porque não falou nada?
-Ah achei que tu não queria nada, sei lá...
-Entendi... Que pena. Eu achei que fosse o contrário!
-Pois é...
-...
-Uma pena mesmo!!!
-É... Tem algum plano para agora?
-O que tem em mente?
-Te arruma que eu não vou conseguir dormir se eu não terminar essa noite bem contigo!
(...)

20.8.11

Um episódio qualquer F#1

Estava trabalhando e lá estava você,
linda e solta, com um sorriso no rosto.
Em minha cabeça fiz o que eu sempre faço e imaginei uma vida inteira com você ao meu lado.
Seus passos eram dança para mim,
lentamente me convencia que você era viciante,
talvez eu não fosse capaz de piscar...
Eu não pisquei e te ofereci algo para beber,
de repente você era tudo a minha volta,
meu ponto focal,
rapidamente eu me convencia que não poderia deixá-la ir,
e você não foi...

17.8.11

Tipos diferentes de grama

É algo muito estranho,
eu não sinto vontades...
Quer dizer, me sinto bem em relação ao que eu sou,
aonde estou e o que tenho feito...
Pra falar a verdade,
não é que eu não sinta vontades,
eu até sinto, mas nada que me prive do que eu sou,
de como me porto perante a todos a minha volta
ou ainda de como eu trato determinadas situações que sou exposto.
Pra ser sincero,
eu tenho muitas vontades,
cobiço tudo e todos que eu vejo em minha frente,
quero fazer o que vocês fazem,
eu quero ser como vocês.

Mas eu não sei!!!

13.8.11

E.

Eu estou pronto para te deixar,
na verdade eu apenas sei que eu devo te deixar,
ser uma pessoa melhor,
ser uma pessoa livre,
ser uma pessoa sem mim...
Junto a tudo isso eu deixo de te procurar,
deixo de precisar de você,
tento não povoar mais a sua mente.
Me esforço em não mais precisar,
ter você aqui comigo,
dominando meus pensamentos,
fingindo ser só um amigo.
Te deixo levar as lembranças,
para que tenham o fim que você quiser,
incinere, jogue fora, tanto faz,
não quero ser alguém que te puxa para trás,
e é triste, ao menos para mim, ter que acabar,
me esqueça, permita que eu morra, me enterre e me trate como um ninguém,
eu vou entender caso mude de calçada se acaso me encontrar,
supere, seja alguém melhor, mude de vida e me deixe pra lá.

9.8.11

Ruby on the Dust

Preciso de uma nova presença em minha vida,
que arrase com tudo feito uma betoneira...
Estou cansado das velhas faces,
me remetendo a velhos lugares da minha mente,
tudo muito comum.

Preciso de ânimo novo para começar minhas semanas,
algo que me inove e me faça criar,
estou cansado da velha monotonia,
da mesmice e daquela rotina,
tudo é sempre a mesma bosta.

Preciso me sentir desafiado,
preciso de algo que eu nunca tenha visto, vivido ou tentado,
preciso ser desafiado,
mas falta ousadia,
falta tentativa e acerto,
falta tentativa e erro,
falta tentativa...

3.8.11

O lento processo de se deixar para lá

Entenda, isso já durou mais do que precisava...
eu já me expus demais e isso é mais do que intencionava,
agora não há o que ver por aqui,
o circo se foi e eu morri pra você.
Eu devia ter feito isso muito antes,
mas eramos todos tão tolos e falsos infantes,
agindo como pequenos reis,
na ansia de ser um alguém.

E agora que paro e decido deixá-lo ir,
deixá-lo ser,
deixá-lo se perder no seu próprio caminho.
Não há mais migalhas de pão,
nem poemas e nem oração pra poder voltar sozinho.

Perceba, levou mais tempo que necessário,
não há elementos para se culpar, ninguém pra chamar de otário,
por isso cuida de si,
que se eu sumi foi por bem.
E se em algum momento lembrar de mim,
que fique só nisso e não venha aqui,
não suporto atos desesperados,
seja rejeitado e aprenda a sorrir no fim.
(como eu fiz)

E agora que paro e decido deixá-lo ir,
deixá-lo ser,
deixá-lo se perder no seu próprio caminho.
Não há mais migalhas de pão,
nem poemas e nem oração pra poder voltar sozinho.
E agora me levanto e decido deixar-me seguir,
deixar-me superar,
deixar-me trilhar o meu próprio caminho,
não há mais incertezas no céu,
mas há breu e fel para enfrentar sozinho.