25.12.07

não importa como sempre...

(...)
Hoje eu senti falta do tempo em que a gente passava horas ao telefone falando sobre nada e sobre termos técnicos que eu não ouviria em outra conversa e nem me lembro agora para citá-los.
(...)
Hoje eu senti falta da ilusão que me assombrava até a pouco tempo em ver qualquer tipo de comentário, por mais inocente que fosse e acreditar piamente que poderia ser algo dirigido a mim.
(...)
Hoje eu senti falta de ouvi-la quase dormir ao telefone enquanto conversavamos sobre o mesmo assunto citado anteriormente e perceber que o torpor estava por derrubá-la totalmente, de modo que os tradicionais longos silêncios cruzavam nossa conversa com o comentário: "Ow... Preciso desligar".
(...)
Ah foda-se...

22.12.07

Uma onda pode levar tudo - demo e composição de hoje

Atraso de vida,
obrigado, não quero!
Murro em ponta de faca
não preciso mais...

Uma onda pode te levar pra longe,
uma onda pode te levar pra lá,
onde eu não precise suportá-la,
sai daqui, me deixa respirar.

Atraso de vida,
obrigado, pro inferno!
Cabeça contra a parede,
eu não quero mais.

Uma onda pode te jogar pro alto,
uma onda pode te espancar,
contanto que eu não volte a vê-la,
uma onda pode te afastar.

//////////////////////
essa é minha singela homenagem aos atrasos de vida. Acho que deu pra perceber...

15.12.07

você teve o mundo em suas mãos essa noite ou suposições parte um

"Como vai a menina lá?"
"Nem vai..."

basicamente assim começam os problemas. Cismas e neuras de antigamente parecem aflorar e trazer a velha pergunta a tona:

"Porque você abriu mão mesmo?"

e o que se nota são os movimentos de esquiva a demonstrações de afeto, lembranças constrangedoras e vontades proibidas.

Seria trágico se fosse verdade, como é apenas uma suposição de momento, seguiremos o nosso caminho sem corações partidos.

13.12.07

rumores parte quatro

Havia um garoto que aos quinze anos não queria mais crescer. A família achou que ele estava vivendo uma fase apenas, dizia-se que era a Síndrome de Peter Pan e que isso passaria tão rápido quando viera.
Passou-se o tempo e o menino, perdeu suas roupas de quinze anos, seus amigos de quinze anos, assim vivendo, teve várias festas de aniversário de quinze anos, teve sua primeira namorada com quinze anos - inclusive perdeu sua virgindade com quinze anos, fez a barba com quinze anos e arranjou o primeiro trabalho com quinze anos.

As pessoas só achavam aquilo um tanto sem sentido, mas para que censurar o pobre e inofensivo menino de "quinze anos"? Por tanto que lutou para não mais crescer e parar no tempo, ele morreu com quinze anos. De uma forma ou de outra...

11.12.07

A caótica lógica das coisas

Sinto falta do tempo que eu sentia a sua falta...

4.12.07

transições

Pronto para dormir, mas nem tanto,
a sensação de que esse dia ainda tem uma fagulha pra queimar persiste...
Mas nem tem, portanto essas são as últimas palavras escritas nesse dia,
a sensação dessa última fagulha acompanha a sensação de final de era,
o final do ano tem lá sua parcela de culpa,
mas deixe o coitado...
Só mais uma transição,
e eu que mais do que nunca me sinto estagnado e preso ao chão,
acho que estou caminhando pra algum lugar,
e é uma contradição
(nem tive a intenção de rimar).

Agora eu vou,
boa noite, aonde quer que você esteja,
sonhe comigo,
e que os fantasmas te deixem em paz,
pelo menos nessa noite quente.

1.12.07

parte dois do que?

Terça-feira eu buscava sentido no meu trabalho, mas ei... Talvez eu tenha sido muito duro com tudo isso, afinal de contas, era apenas uma frustração momentânea e que estamos trabalhando para alterar.

Agora só me diga uma coisa: O que diabos faço eu aqui as 3h44 da madrugada de sábado pra domingo acordado e pensando em fazer outra coisa (de preferência produtiva) que não dormir?

Acho que vou recorrer a minha pilha de jornal e a minha busca incessante por foto de motocicletas...