29.2.08

29 de Fevereiro

Em meio a chumbos trocados e palavras proferidas,
um mal entendido selou o silêncio do que parecia ser eterno ou, menos dramático, duradouro...
Exatamente num dia como hoje,
nem sei quantos anos ela está completando,
quantos dias 29 de fevereiro ela já teve em sua vida,
esse seria o primeiro que eu conviveria com ela.
Deve fazer uns dez meses que nada mais é dito,
nem assuntos que outrora teria significado pra retomarmos o convívio agora ajudaram.
Sobre a música que me fez retomar a sua lembrança,
música que, ironicamente, se chama NO(n)STÁLGICA.
Ela não lerá isso...
Afinal, a falta de palavras expressada nas linhas acima foi algo comum,
como o próximo caminho a ser tomado.
Nada inesperado,
algo que já esperavamos,
em outras palavras, o destino.
O que é uma pena...

25.2.08

Escalando as paredes...



Hoje foi um dia que eu passei por pouco...
Quase fiquei na cama, apesar de acordar de cinco em cinco minutos com a sensação de atraso.
Quase que eu cheguei atrasado no trabalho.
Quase não comi nada.
Quase vomitei o pouco que eu comi.
Quase perdi o ônibus (tá bom, esse eu perdi mesmo!).
Mas veio outro logo depois,
e eu não me atrasei de novo...
No outro trabalho, eu quase nem olhei pro lado de atolado que estava...
E eu quase não sai no horário pra minha carona.
E agora, com um pseudo bode existencial, mas com a certeza de que poderia ter sido muito pior,
eu quase não escrevo isso!

E talvez isso fosse o certo a ser feito.

19.2.08

Eu vou...

Mas eu vou pra conservar uma fagulha de sanidade...

18.2.08

são os questionamentos que te levam a estaca zero...

Eu não tenho a resposta para tuas dúvidas,
não sei porque não quiseram compactuar com tuas traições,
não sei porque nesses seis anos nada mudou entre vocês,
ou se ele não quis aproveitar o fato da bebedeira te deixar mais volúvel,
não sei porque tuas crises te levam justamente a me ligar,
justamente para fazer as perguntas que eu não tenho resposta...

13.2.08

Citação obrigatória para algumas horas atrás

É o final do mundo como nós conhecemos ( e eu me sinto bem)

Obrigado! Tenham uma noite agradabilissima.

11.2.08

A Confusa lógica das coisas

Exercitar meu sarcasmo as vezes faz bem...
Pessoas se queimam a torto e a direito,
sem motivo, o que é mais engraçado...
Mas quem sou eu para explicar uma piada sem graça?
Só eu quem rio do fato de só eu entendê-la,
só eu percebo quem está certo ou errado fazendo seu julgamento,
só eu sei e mais ninguém...

10.2.08

...a voz em minha cabeça... parte dois

As vezes eu superestimo as pessoas,
teço comentários um tanto ácidos e acho que a pessoa leu e ficou puta com isso,
ledo engano,
afinal de contas, tudo que eu conto é com um leitor ocasional,
de vez em nunca alguém aparece e lê algo que eu escrevo por aqui,
por sorte ou nem tanto, nunca é o alvo do petardo...
As vezes acho que, mesmo que fosse o alvo,
nem perceberia do que se trata...
" Ah que texto bonito" - a pessoa pensaria,
ou ainda " Nossa, é a minha cara isso daí".
Se eu pudesse, eu viraria e diria:
" Claro que é a tua cara, sua idiota, é você quem está sendo retratada"
ajudaria?
Talvez não, viu...
Em todo caso, me deixe em paz que eu cansei de ti...
Posso ser mais claro?

7.2.08

potência ao mol

"Deixe-me introduzí-los para os meus amigos"

Stereophonics - My Friends

_


Antigamente eu poderia xingar Max Gehringer por várias coisas que ele diz de errado e impreciso,
(bom, eu ainda posso...)
mas eu sou obrigado a tirar o chapéu para tudo que ele disse sobre o networking.
Essa coisa de construção da sua rede de relacionamentos é fantástica,
o melhor é o crescimento e o amadurecimento que é adquirido,
analisemos então:
-você se relaciona melhor com as pessoas, convertendo possíveis pontos negativos a seu favor;
-você cria consciência de que tem que ser mais abrangente na sua vida, então começa a buscar conhecimento que antes lhe era inútil de tudo;
-o melhor de todos: te dá algo melhor para pensar do que aquilo que em outrora te tirava o sono.

Eu sei eu sei, apesar de publicitário, essa coisa de conselhos voltados para isso é um grande pé no saco, mas eu queria apenas registrar aqui, tamanha minha felicidade, como isso vem me fazendo um pouco mais feliz.

Obrigado a todos que participaram disso que não se trata de mero networking, é algo mais... É um sentimento mútuo, uma união do que cada um estava precisando (independente de perceber isso ou não) e ter aquela lacuna preenchida e revertida em muito mais, tipo uma potência ao mol.

Comecei a usar chapéu só pra poder tirá-lo mais vezes.

5.2.08

Rumores parte cinco

Ouvia-se a história de um cara que vivia em seu computador,
seus amigos eram virtuais,
seus assuntos eram chatos e sem graça,
seus relacionamentos eram meras piadas,
seu sexo era patético e sem sentido.
Não sabia como mudar a situação,
então ficava em sua casa na frente do seu computador,
2o e tantas horas por dia,
dominando seus falsos impérios,
travando guerras hipotéticas em terrenos poligonais.
Um dia perdeu a noção de sua própria realidade,
se via como um guerrilheiro,
lutando sozinho contra os vietcongues a sua volta,
o terreno quase dominado,
e sua vida quase no fim,
em seu jogo real ele pegou seu kit médico,
afim de recuperar a vida, matar os vietcongues e se tornar herói,
tomou os remédios com a mesma avidez e adrenalina que um soldado cercado,
no jogo virtual ele morreu,
no jogo real também.

1.2.08

Eu posso lutar minhas próprias guerras

Engraçado como chega um tempo em que todo o encanto vai embora,
tudo que era meigo e bonitinho fica sem sal,
aquilo que você queria proteger vai embora como o álcool consumido,
e aquelas fagulhas de esperança acabam aos poucos,
apagam aos poucos,
e aquela mágica e graça que a pessoa despertava,
vai embora a medida que os erros são cometidos,
você pode se consolar alegando que a vida é assim,
esses problemas são comuns...
E são mesmo!
Isso tem um nome: evolução!
O tipo de evolução que mais satisfaz,
quando você se sente capaz de deixar as coisas para trás,
elas já não puxam (tanto) você...
Você pode buscar um terreno seguro,
onde você não afunde mais,
onde dê pé.