25.4.11

Fica o dito pelo não dito...

Rabisco umas quinze vezes o mesmo pedaço de papel e desisto sempre...
Tudo que escrevo parece uma tentativa vã e tola de sequer refletir o teu significado
("Sua história é minha" já disse uma outra pessoa, como eu queria ter dito)
O teu brilho não pode ser dito em poucas palavras como intento nesse momento,
mas isso é muito piegas para ser escrito,
pessoas muito melhores já disseram isso de formas melhores
(Jeff Buckley disse certa vez "Meu reino por um beijo no seu ombro" )
Sento-me mais uma vez em frente a um papel, lápis a postos e rasuro algumas linhas,
talvez tentando ser mais ousado, ser mais atirado em minhas palavras
("Se quiser, vem me explicar, me mostrar o sexo implícito")

Ao me ver frustrado mais uma vez, desisto e vou viver...
Afinal, talvez o que eu tenha pra dizer não seja tão substancial assim pra valer uma música só para você
(E Bob Dylan disse: "Não há razão para excitar-se...")

-

"Senhoras e senhores, o dia do julgamento final!"

24.4.11

Testes

Talvez eu esteja certo,
(abra uma exceção, que mal que eu te fiz se eu não faço nada...)
talvez seja hora de acalmar...
Ao menos tentar uma outra forma,
deixar fantasmas de lado e superar,
voltar a viver
voltar a esperar mais do jogo,
talvez voltar a sonhar.

17.4.11

Portas entre abertas

Agora chega,
peço que se retire!
Não aguento mais você por aqui!
Vá e leve embora tudo que te pertence...
Os nossos retratos eu me encarrego de queimar depois,
as cartas que você me escreveu também.
Leva a escova de dente ou ela vai para o lixo também...
Os CDs com a nossa música estão separados...
Agora vá de vez, por favor!
Seu cheiro já me enoja...
Teu sorriso me revolta.
Então vá.
Eu tento não olhar...
Mas deixo a porta entre aberta para o caso de você querer voltar!

Nomes bons para músicas em inglês:

-Remember the Good'old times
-Run Away (like devil from the cross)

11.4.11

Olhos azuis (ou verdes, ou enfim...)

Mas eu odiaria dizer não
Para esses lindos olhos azuis
E eu odiaria dizer não
Para esses malditos olhos lindos
Aguente aí garota, eu prometo que nós teremos tudo isso...

7.4.11

"Hey, cara, você entendeu tudo errado"

Não há sacrifício necessário,
não há derramamento de sangue,
não há justiça a ser cobrada aqui embaixo
e nem forma de redenção tão fácil.

Não há mal que seja irreversível,
não há bem que não se possa fazer,
não há desgraça para se fazer valer
ao menos nada que encha de sangue suas mãos.

Você diz ter lido sobre isso,
ou diz ter ouvido ou que alguém tenha falado,
é tarde agora, mas eu ouso dizer:
"hey cara, você entendeu tudo errado!"

4.4.11

A noite sempre vence

Eu joguei isso ao vento,
mas e se isso estiver correto?
Bem, você acredita nos seus nobres sonhos
e gentis expectativas pela misericórdia da noite?
A noite sempre vence
A noite tem a escuridão ao seu lado,
eu joguei isso ao vento.

Eu sinto falta do seu rosto estúpido,
eu sinto falta do seu péssimo conselho,
eu tentei vestir seus ossos com riscos
Super 8, exageradas histórias e velhas canções,
mas nunca pela lua,
ao menos não no estado que estou,
a noite sempre vence.

(Elbow... Sem mais)

3.4.11

Setlist de final de semana (2 e 3/04)

Estranhamentos e gosto do passado num fim de domingo, pós sábado de falsa juventude e tédio óbvio, além de mais um quaase gosto de passado, marcado por uma sexta de um presente conturbado. Assim resume-se um final de semana bom, não ótimo e muito menos ordinário. Segue a setlist num ritmo semiconturbado(quase um bate e assopra) rumo a uma segunda-feira.

1- Smashing Pumpkins - Porcelina in the Vast Oceans (ao vivo)

2- The National - Anyone Ghost
3- Lobão - A Vida é Doce
4- Foo Fighters - Rope
5- Violins - Medo de Dar Certo (ao vivo)