21.7.11

Terapia (Verborragia I)

Bom dia, doutor,
você não sabe quem sou, mas vou tentar explicar...
Eu sou daqueles tipos faceis de achar...
Perdidos em qualquer esquina no fundo de um bar.
Eu sempre bebo, as vezes,
e sempre penso em parar...
Procuro sempre alguém disposto a me resgatar,
do que nem mesmo eu sei, mas sei que irá me matar.
Não duro em uma relação, nem sei ao menos porque...
Sei que no fundo tenho medo de me comprometer,
até por isso, sou tido como promiscuo, eu sei...
Estarei ficando velho ou enlouqueci de vez?
Sinto o peso da idade me machucando as costas,
embora me convença que continuo a mesma bosta,
mas sempre viro-me e eu observo o passado,
terei minha vida desperdiçado?
Vivi com o dedo em riste por muito tempo,
achando que viveria a mercê do vento
"eternamente e para sempre" - costumava dizer,
e hoje tremo na espera de cada novo amanhecer...
Ir ao emprego, pagar contas, depender de chefe...
ser desgraçado e falido, sem apostas e sem blefes.
E são perguntas sem respostas, não depende de você...
estarei eu ficando velho ou eu enlouqueci de vez?

Nenhum comentário: