9.6.11

2. Tripas

Veja enquanto eu caio aos pedaços,
nunca fico escasso de palavras como agora!
Veja só o quanto me embaraço,
eu nunca me envergonho, mas agora nem importa.

O sorriso sai do meu rosto,
não sei disfarçar o meu desgosto por isso.
Veja enquanto eu fujo dos riscos,
me despus a tudo, porém nada tão ríspido.

Lá se vão todos os pedaços,
tripas, orgãos, mãos e braços,
sangue e suor, lágrimas e o baço,
faço o que posso para me recompor em traços.

Veja enquanto eu perco o passo,
veja enquanto eu perco as horas,
veja o nada que eu me faço,
veja o meu tudo que vai embora...

Nenhum comentário: