23.1.08

a hora do encontro é também despedida

Se eu parar para pensar nesse clima de despedida que permeia minha vida atualmente,
esses quatro anos em um mesmo ambiente,
rindo um bocado, ficando puto outro bocado,
pensar que não pegarei o velho 1.71 (antes conhecido como 3.85) toda manhã
e não voltarei andando naquele velho caminho,
caminho este que já foi tema desse espaço...
Que não encontrarei aquelas mesmas pessoinhas vivendo suas vidas,
naquele contínuo dejá vù,
já tenho motivos para dar um sorriso de meia-boca e cantar:
"Say you, say me"

*
Por incrível que pareça, eu não estava (mais) ouvindo Say you, Say me do Lionel Ritchie, mas sim Paul Weller, com All Along the Watchtower.

Nenhum comentário: