4.8.07

o azedume do açúcar

"Me largue aqui,
bêbado e fudido com os meus vícios.
Aqueles que você não foi capaz de converter a teu favor.
Você lutou, mas falhou ao tentar me mudar.
Você suou pra me deslocar daquele bar.
Se enganou ao pensar em me transformar."


Segue aí a tentativa de fazer um EP, o até então chamado GUERRILHA URBANA. Nem preciso dizer mais nada, do tipo de pergunta: "Do que você acha que se trata a música?". Acho que o açúcar do amor me estressou, por isso escrevo coisas mais tensas. Quem sabe me apareça alguém e faça eu redefinir essa idéia do azedume que traz o amor em excesso, por mais contraditório que pareça...

Enfim, é pra ser confuso isso tudo mesmo. Boa noite, porque esse dia em especial tem sido por anos um saco que eu espero demais. Mas demais mesmo... E o que eu espero nunca vem. Que se foda!

Nenhum comentário: